Curando com Movimento

Limpeza de Fim de Verão
20 Novembro, 2012
E.U.A.: Cada vez mais vegetarianos
8 Junho, 2013

Curando com Movimento

Curando com Movimento

Muitos de nós, enquanto crianças, fomos incentivados a dançar, jogar, fazer exercício variado, a caminhar, enfim, a mexer-nos!
À parte algumas raras excepções que enveredaram devotamente pelo caminho do desporto, da dança ou de outro exercício qualquer, a verdade é que à medida que fomos crescendo, fomos criando progressivamente mais hábitos sedentários e largando o movimento em prol de alguma preguiça.
Crescidos, muitos passaram a ter vergonha de dançar!
O nosso corpo é feito de movimento e de curvas e foi feito para se mexer.
A dança é um dos movimentos mais curativos que conheço. Haverá músicas mais apropriadas à cura do que outras, mas seja ao som de que música for, a dança é sempre libertadora, activando a circulação sanguínea e energética, soltando o corpo acaba por fazer libertar muitas tensões e emoções acumuladas.
Se já não dança há muito tempo, e tem consciência de que a dança lhe pode ser benéfica, reconsidere a hipótese de voltar a dançar.
Se não o quer fazer em público, arranje tempo e espaço em sua casa, num ambiente tranquilo, escolha músicas do seu agrado e uma iluminação suave e deixe que o seu corpo se entregue e responda graciosa e alegremente à música. Entregue-se ao prazer de ouvir e responder com o corpo.
Não pense naquilo que parece ou na figura que pode estar a fazer. Liberte-se de preconceitos e não vai demorar muito até que o seu corpo recorde naturalmente o quanto ele gosta de se mexer. Sinta a música na sua alma, sinta as vibrações curando o seu corpo. Viva esse momento como se de uma sessão de meditação se tratasse na qual você se permite a si próprio habitar plenamente o seu extraordinário corpo!
Lembre-se que todas as culturas, desde tempos imemoriais, celebraram a vida e o corpo com a música e a dança. Todos nós carregamos a memória da dança nas nossas células, nos nossos ossos e no nosso sangue. Nascemos com isto! Tudo o que temos de fazer, é começar a mexer-nos! Se quisermos mais interactividade, podemos sempre escolher uma aula de dança que, em quase todas as cidades, existe nas mais variadas opções desde a salsa à valsa!
Seja qual for a sua escolha, dançar em casa, em público, sozinho, a dois ou em grupo decerto não se vai arrepender e depressa vai re-descobrir o seu direito natural: o alegre e curativo caminho da dança!

Paula Soveral

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *